Dharamsala… revisited

O chilrear das pequenas aves que se ouve logo que os primeiros raios de sol surgem por trás das montanhas, anunciam o fim do chuva que durante dois dias escureceu o vale de Daramkot, trazendo gelo, granizo e frio mas deixando um manto branco no cimo das montanhas mais próximas, da cordilheira de Dhauladar, parte da cadeia montanhosa que constitui os Himalayas.

Este é o cenário de uma povoação dispersa ao longa da encosta numa época que antecede a primavera que para além dos dias amenos e primaveris trás consigo centenas de visitantes que procuram refúgio do calor do sul da Índia, acordando e dando vida à sonolenta Daramkot e à despovoada Bagshu.

Menos calma pela presença da comunidade Tibetana, a vila de McLeod Ganj, mantem a calma rotina, somente interrompida pelo afluxo de visitantes oriundos essencialmente de Delhi e do estado vizinho do Punjab, que nos fins-de-semana entopem as estreitas ruas, de um frenesim urbano em busca do exotismo das montanhas coroadas de neve.

Não sendo esta a primeira estadia por estas paragens, houve tempo de rever locais, encontrar diferenças, notar ausências e encontrar novidades. Houve tempo para assistir aos ‘teachings’ do Dalai Lama, para saborear os momo em versão street-food, para descobrir novos percurso pelas encostas das montanhas, praticar yoga no HIYC, assistir a palestras budistas no Centro Tushita e fazer o curso de meditação Vipassana.

Weather report/forecast: http://mcleodganj-weathergeek.blogspot.in/

das encontras de Daramkot avista-se o vale por onde se espalha a povoação de Dharamsala, que Março acorda geralmente envolta numa espessa neblina
das encontras de Daramkot avista-se o vale por onde se espalha a povoação de Dharamsala, que Março acorda geralmente envolta numa espessa neblina
de McLeod Ganj existem várias opções para chegar a Daramkot, sendo o caminho pedonal pela encosta poente o mais calmo e o que proporciona uma atmosfera mágica envolto pela densa floresta de coníferas
de McLeod Ganj existem várias opções para chegar a Daramkot, sendo o caminho pedonal pela encosta poente o mais calmo e o que proporciona uma atmosfera mágica envolto pela densa floresta de coníferas
encosta onde se encontra Daramkot
encosta onde se encontra Daramkot
Daramkot ainda conserva o ambiente rural mas que aos poucos vai sendo substituído pelo cimento de mais guest houses e restaurantes
Daramkot ainda conserva o ambiente rural mas que aos poucos vai sendo substituído pelo cimento de mais guest houses e restaurantes
Daramkot: em Março os campos de trigo ainda estão verdes longe das colheitas que começas em meados de Maio
Daramkot: em Março os campos de trigo ainda estão verdes longe das colheitas que começas em meados de Maio
Daramkot
Daramkot
no cruzamento principal de McLeod Ganj reunem-se diariamente homens vindos do estado vizinho de Kashmir para o comercio de frutos secos e de açafrão
no cruzamento principal de McLeod Ganj reunem-se diariamente homens vindos do estado vizinho de Kashmir para o comercio de frutos secos e de açafrão
Bilheteira da companhia local de transportes, a HRTC
Bilheteira da companhia local de transportes, a HRTC

Alojamento:

…. centenas de opções desde hotéis, guest houses e quartos em casas particulares dos habitantes locais… mais perto da povoações, mais perto da montanha, com acesso por estrada ou por caminhos pedonais… mas calmas ou mais ‘animadas’…

Pink Guest House, em Upper Daramkot, com quartos entre as 300 e 500 rupias, variando de acorcom o tamanho e com o facto de terem ou não casa-de-banho partilhada. No wi-fi.
Pink Guest House, em Upper Daramkot, com quartos entre as 300 e 500 rupias, variando de acordo com o tamanho e com o facto de terem ou não casa-de-banho partilhada.

Pink House: quartos desde 300 rupias (com casa de banho partilhada) até 500 rupias para quarto duplo com casa de banho; contudo este valor pode subir rápidamente assim que se aproxima a época-alta (especialmente em Maio); alguns quartos com cozinha cujo aluguer diário é de 600 rupias; no Wi-fi 🙁 Para quem pretende ficar por longas temporadas, mais do que um mês, o preço pode ser negociado.

Kamal Guest House à frente da qual está o simpático Rajesh, que para além dos quartos dispões também de restaurante, onde se destaca o delicioso ‘kitchari’, um básico prato da cozinha indiana, uma mistura de arroz, lentilhas e vegetais servido numa versão mais próxima de uma sopa cremosa. A Kamal Guest House situa-se em Daramkot, junto ao Himalayan Iyengar Yoga Center. Wi-fi free and good
Kamal Guest House à frente da qual está o simpático Rajesh, que para além dos quartos dispõe também de restaurante, onde se destaca o delicioso ‘kitchari’, um básico prato da cozinha indiana, uma mistura de arroz, lentilhas e vegetais servido numa versão mais próxima de uma sopa cremosa. A Kamal Guest House situa-se em Daramkot, junto ao Himalayan Iyengar Yoga Center.

Kamal Guest House: 300 rupias por quarto individual com casa de banho; mas este valor pode subir rápidamente assim que se aproxima a época-alta (especialmente em Maio); free and good Wi-fi

Conifer Lodge. Mesmo ao lado da Kamal Guest House, em Daramkot, junto ao Himalayan Iyengar Yoga Center. Wi-fi free
Conifer Lodge. Mesmo ao lado da Kamal Guest House, em Daramkot, junto ao Himalayan Iyengar Yoga Center. 300 rupias por quarto individual com casa de banho. Wi-fi free

Conifer Lodge: 300 rupias por quarto individual com casa de banho; mas este valor pode subir rápidamente assim que se aproxima a época-alta (especialmente em Maio); quartos pequenos e básicos. Um apartamento disponível. free Wi-fi

Onde comer:

É vasta a oferta em termos de restaurantes, quer em Daramkot, Bagshu ou em McLeod Ganj, sendo esta ultima a que reúne as melhores opções em termos qualidade, sobressaindo a deliciosa comida Tibetana, à base de momos, sopa de noodles e o tradicional thenduk.

Para comida ao estilo indiano, mais concretamente ao estilo do Punjab e com a presença das especialidades de Amritsar a melhor opção é sem duvida Bagshu.

Para Daramkot ficam os restaurantes que servem o habitual mix de comida ocidental, indiana, mexicana, chinesa e israelita, mas onde se podem encontrar boas pizzas… contudo não se destaca nenhum em particular.

Trimurti Garden: restaurante onde também aluga quartos, mas cuja disponibilidade depende dos cursos de yoga e outras actividades que têm lugar no Trimurti Garden. A comida, num misto de opções de comida ocidental com alternativas de comida indiana, mas cozinhada com a suavidade do ‘gosto’ ocidental, onde são valorizados produtos biológicos e orgânicos. Bom café, bons bolos e variadas opções para pequeno-almoço, onde o pão home-made, é acompanhado por compotas caseiras.
Trimurti Garden: restaurante onde também aluga quartos, mas cuja disponibilidade depende dos cursos de yoga e outras actividades que têm lugar no Trimurti Garden. A comida, num misto de opções de comida ocidental com alternativas de comida indiana, mas cozinhada com a suavidade do ‘gosto’ ocidental, onde são valorizados produtos biológicos e orgânicos. Bom café, bons bolos e variadas opções para pequeno-almoço, onde o pão home-made, é acompanhado por compotas caseiras.
restaurante japonês Lung Ta em McLeod Ganj; vegetariano, que para além do menu apresenta para cada dia da semana um ‘special set’ por 200 rupias. Comida deliciosa servida num bom ambiente.
restaurante japonês Lung Ta em McLeod Ganj; vegetariano, que para além do menu apresenta para cada dia da semana um ‘special set’ por 200 rupias. Comida deliciosa servida num bom ambiente.
uma das opções do restaurante japonês Lung Ta em McLeod Ganj
uma das opções do restaurante japonês Lung Ta em McLeod Ganj
‘Coffee Meal’ espaço minimalista mas acolhedor, situada na rua principal de McLeod Ganj, mas afastado da confusão, com uma varanda com vista para as montanhas. Deliciosos bolos, bom café, wi-fi e o simpático serviço fazem deste espaço um dos locais de eleição. Partilha a entrada com a Shambhala Guest House.
‘Coffee Meal’ espaço minimalista mas acolhedor, situada na rua principal de McLeod Ganj, mas afastado da confusão, com uma varanda com vista para as montanhas. Deliciosos bolos, bom café, wi-fi e o simpático serviço fazem deste espaço um dos locais de eleição. Partilha a entrada com a Shambhala Guest House.
varanda do ‘Coffee Meal’ com vista para as montanhas de Dhauladar que em Abril ainda em espesso manto de neve
varanda do ‘Coffee Meal’ com vista para as montanhas de Dhauladar que em Abril ainda em espesso manto de neve

Transportes:

Amritsar – Dharamsala: não existindo estação de comboios em Dharamsala, a estação mais próximo é na pouco atractiva cidade de Pathankot no extremo norte do estado do Punjab. Daqui é necessário ir até ao terminal de bus, recorrendo a uma viajem em tuk-tuk. Para evitar transbordos a alternativa é efectuar o percurso entre Amritar e Dharamsala em autocarro público, pois não se encontram disponíveis serviços turísticos, sendo geralmente necessário efectuar transbordo no terminal de bus de Pathankot.

Contudo, existe um autocarro directo que parte do terminal em Amritsar pelas 12 horas, sendo conveniente chegar mais cedo para reservar um bom lugar, pois os veículos são velhos, desconfortáveis e o percurso no estado de Himachal Pradesh, para além de sinuoso, não oferece uma estrada em boas condições.

  • Bus: Amritsar – Dharamsala: a viagem, de pouco mais de 200 quilómetros demora entre 5 a 6 horas. Custo: 240 rupias.

Delhi – Dharamsala: Os autocarros partem do Terminal de Bus (Maharana Pratap Inter-state Bus Terminal – ISBT) situado junto a Majnu Ka Tilla, o bairro tibetano em Delhi, e servido pela estação de Metro “Kashmiri Gate”. É possível adquirir bilhetes nas muitas agências de viagens de Pahar Ganj, com alguns autocarros a iniciarem serviço perto desta zona ou perto de Old Delhi Train Station.

  • Bus: Delhi – Dharamsala: cerca de 12 horas de viagem, geralmente efectuadas de noite, que pode ser em autocarro local ou serviço turístico, com o preço a variar entre 550 e 1200 rupias, conforme o grau de conforto.

Para a viagem: McLeod Ganj – Delhi (Maharana Pratap Inter-state Bus Terminal – ISBT) existem diversas opções, todos efectuando a viagem de noite:

  • Os autocarros da companhia local HRTC (Himachal Road Trasnport Corporation), que constituem a opção mais barata, com várias versões dependendo da qualidade e sofisticação dos veículos, tendo em atenção que parte da estrada é de montanha o que exclui uma viagem confortável. Nestes veículo é raro encontrar estrangeiros. Os bilhetes podem ser adquiridos na bilheteira existente na praça principal de McLeod Ganj, não sendo necessário grande antecedência a não ser que se queira reservar um lugar especifico, o que dado o mau estado da estrada e da suspensão do veículo é de todo recomendável escolher um lugar na parte da frente do autocarro.
  • Os chamados turísticos, onde os preços variam entre 800 e 1200 rupias, em função do conforto e da arco do veículo, sendo os ‘Volvo’ os mais caros. Existem muita empresas e por isso não é difícil arranjar bilhete, que pode ser adquirido nas muitas agências de viagens que se encontram em McLeod Ganj, Daramkot ou Bagshu.

Mais alternativas em termos de horários são possíveis a partir de Dharamsala.

horários e preços dos autocarros de McLeod Ganj to Delhi
horários e preços dos autocarros de McLeod Ganj to Delhi
existem várias opções para efectuar a viagem de regresso a Delhi, sendo a mais barata os autocarros decrépitos da companhia de transportes local, a HRTC, que para além se serviços de longo curso efectua também a ligação entre as diversas cidades, vilas e aldeias do estado de Himachal Pradesh
existem várias opções para efectuar a viagem de regresso a Delhi, sendo a mais barata os autocarros decrépitos da companhia de transportes local, a HRTC, que para além se serviços de longo curso efectua também a ligação entre as diversas cidades, vilas e aldeias do estado de Himachal Pradesh
de entre as muitas opções de ‘autocarros turísticos’ explorados por empresas particulares. O melhor veículo a efectuar este serviço pertence à Bholenath, um Volvo novo que sai de McLeod Ganj pelas 6 pm
de entre as muitas opções de ‘autocarros turísticos’ explorados por empresas particulares. O melhor veículo a efectuar este serviço pertence à Bholenath, um Volvo novo que sai de McLeod Ganj pelas 6 pm
.... claro que nem todos os ‘volvo’ são efectivamente ‘volvo’ ;)
…. claro que nem todos os ‘volvo’ são efectivamente ‘volvo’ ;)

Melhor altura para visitar:

Apesar do tempo primaveril, algumas estradas podem estar cortadas, nos pontos mais altos, pela neve, o que obriga a desviar por percurso menos interessantes e mais movimentados.

Esta região de Dharamsala, oferece duas alturas propícias aos visitantes:

  • entre meados de Março ao inicio de Junho
  • de Setembro até final de Outubro

De Novembro a Fevereiro as temperaturas são baixas e grande parte de hotéis, restaurantes e lojas encontram-se fechados. Junho, Julho e Agosto é a época das monção, sendo a constante e intensa chuva pouco convidativa a percurso nas sinuosas estradas de montanha.

Deixar uma resposta