Hoi An

>

Para primeira incursão nos arredores de Non Nuoc, optámos por ir visitar a cidade de Hoi An, considerada património da Humanidade pela UNESCO.

Chegados ao centro de Hoi An, fomos agradavelmente surpreendidos ao encontrar-mos uma atípica cidade vietnamita: casas baixas, mantendo o traçado tradicional, ruas calmas e sem trânsito…. contudo toda a cidade está direccionada para o turismo, em especial o que dispõe de mais dinheiro, dominando os hotéis, restaurantes, galerias de arte, sapatarias, lojas de roupa e de produtos tradicionais vietnamitas, tudo com bastante bom gosto e qualidade … considerando o “gosto” ocidental. Apesar de ter perdido muito do que caracteriza o Viet Nam, tornando-se mais uma cidade de bilhete postal, vale bem uma visita.

Desenvolvendo-se junto das margens do rio Thu Bon, a cidade soube preservar o seu núcleo antigo, onde se podem encontras inúmeros, templos, palácios e casas de habitações de pertencentes a mercadores, reflectindo a presença ao longo dos séculos de comunidades chinesas, japonesas que adoptaram esta cidade como local estratégico na rota comercial, desde o século XVI.

Uma das principais atractivos da cidade é a fama dos seu costureiros, sendo frequente os turistas que visitam a cidade encomendarem roupa e sapatos, que são feitos à medida do cliente, tanto no tamanho como na escolha de materiais e cores. Encontram-se roupa de todos os géneros, desde casacos de fazenda, a fatos de homem, vestidos de noite…. dominando contudo a roupa feita em seda, que apesar de ser frequente no Viet Nam, aqui encontra-se por todo o lado.


À chegada, comprámos os bilhete num posto de turismo, por 90.000 VND, por pessoa que permite o acesso, ao longo de um dia inteiro, a seis das várias casa de mercadores, palácios e templos, à nossa escolha. Praticamente todos os motivos de interesse se encontram concentrados em duas ruas, que se desenvolvem em paralelo com o rio. Destacam-se a Chinese Assembly Hall, a casa Diep Dong Nguyen, a casa Tan Ky e ponte Japonesa.



Ponte Japonesa





Junto ao mercado, vale a pena um passeio pelos ruas que ainda preservam traços da arquitectura francesa, ladeadas de árvores, e atravessar a ponte Can Nam, sobre o rio Thu Bon, de onde se tem uma boa perspectiva da cidade.

 

Ponte Can Nam

Rio Thu Bon

Deixar uma resposta