Houay Xai… chegada ao Laos

Para trás fica Chiang Khong a cidade fronteiriça do norte da Tailândia; cruzando o Mekong chega-se ao Laos, mais concretamente à república Popular do Laos, país ainda sob o domínio comunista e um dos mais pobres do Sudoeste asiático.

Mais uma fronteira cruzada por meios terrestres, mas desta vez longe da penosa travessia que constituiu a passagem da Índia para o Nepal; aqui existe o que se pode verdadeiramente chamar de posto fronteiriço, moderno, imponente e eficiente.

De um lado os serviços de imigração da Tailândia, que de ar austero e olhar severo se recusaram de inicio a carimbar o meu passaporte, alegando que o visto já estava caducado, o implicaria o pagamento de uma multa, encaminhando-me para outro departamento, e fazendo demorar o processo. Esclarecido o mal entendido, e passando para os serviços de imigração do Laos, encontrei funcionários solícitos que após poucos minutos de espera me entregaram o passaporte, com o visto de trinta dias em troca dos meus 35 dólares, desejando-me entre simpáticos sorrisos uma boa estadia no Laos.

Foi um bom começo para esta estadia no Laos.

Houay Xai, não é mais do que uma pequena povoação que se estende ao longo do rio Mekong, e de onde se avista a Tailândia; sendo escassa de atractivos, Houay Xai oferece alojamento, alguns restaurantes e alguma comodidades aos turistas que aqui ficam antes de iniciarem o percursos pelo Laos, geralmente com destino à cidade de Luang Prabang.

Os dias aqui passados serviram para recuperar da viagem desde Chiang Mai e do processo de imigração, sendo passados calmamente em adaptação à nova moeda, à nova língua assim como em preparativos para a descida pelo Rio Mekong até Luang Prabang que demora dois dias num barco com condições básicas.

Mekong
Mekong. Embarcações mais pequenas que fazem a ligação entre as duas margens do rio, ligando Chiang Khong na Tailândia a Houay Xai, no Laos
Inicio do dia junto ao cais de embarque do barcos que efectuam a descida do rio rumo a Luang Prabang
Inicio do dia junto ao cais de embarque do barcos que efectuam a descida do rio rumo a Luang Prabang
arroz cozido (stick-rice) a secar ao sol que depois é frito em óleo e que constituindo um snack leve e fácil de transportar, sendo uma boa opção para as viagens longas, mas que entre os locais é consumido também às refeições.
arroz cozido (stick-rice) a secar ao sol que depois é frito em óleo e que constituindo um snack leve e fácil de transportar, sendo uma boa opção para as viagens longas, mas que entre os locais é consumido também às refeições.
parte do complexo formado pelo templo e pelo mosteiro existente no cimo da colina que domina a povoação de Houay Xai
parte do complexo formado pelo templo e pelo mosteiro existente no cimo da colina que domina a povoação de Houay Xai
Rio Mekong junto a Houay Xai, no cais destinado às pequenas embarcações que realizam a travessia do Mekong e somente pode ser utilizado para quem cruza a fronteira sem necessitar de visto, pois não dispoem de serviços de imigração
Rio Mekong junto a Houay Xai, no cais destinado às pequenas embarcações que realizam a travessia do Mekong e somente pode ser utilizado para quem cruza a fronteira sem necessitar de visto, pois não dispoem de serviços de imigração
Cais de embarque no Rio Mekong em Houay Xai
Cais de embarque no Rio Mekong em Houay Xai
pequeno almoço em Houay Xai, antes do inicio da descida do Mekong, constituído pela tradicional sopa de noodles, mas que neste restaurante local ficou marcada pela diferença, oferecendo um caldo muito mais saboroso do que o habitual (por vezes instantâneo), uma grande diversidade de vegetais que é adicionada a gosto por cada pessoa, menta, hortelã, rebentos de soja, pasta de amendoim , chilli e lima; a acompanhar um chá, tudo pela módica quantia de 15.000 kips, cerca de 1.5€.
pequeno almoço em Houay Xai, antes do inicio da descida do Mekong, constituído pela tradicional sopa de noodles, mas que neste restaurante local ficou marcada pela diferença, oferecendo um caldo muito mais saboroso do que o habitual (por vezes instantâneo), uma grande diversidade de vegetais que é adicionada a gosto por cada pessoa, menta, hortelã, rebentos de soja, pasta de amendoim , chilli e lima; a acompanhar um chá, tudo pela módica quantia de 15.000 kips, cerca de 1.5€.

Deixar uma resposta